Select Page

A economia compartilhada é um modelo econômico em que pessoas podem emprestar ou alugar bens e prestar serviços entre si. A gentileza entre estranhos se tornou um negócio com retorno financeiro, no qual a interação entre as pessoas aumenta e a confiança passa a ser um fator essencial no processo. Além disso, a economia compartilhada está alinhada a sustentabilidade. Uma pessoa pode alugar o seu carro quando não estiver o utilizando, o que também pode acontecer com outros objetos, como casas, bicicletas e roupas. Isso faz com que menos coisas sejam compradas e, consequentemente, produzidas, o que evita excessos e reforça a conscientização em relação ao meio ambiente.

No entanto, para esse modelo de negócio funcionar a tecnologia é necessária. O mundo online não para, as pessoas se conectam por longas horas do dia e utilizam a internet como uma ferramenta de busca e solução de problemas. Os mercados de aluguel já existem há algum tempo, mas as plataformas digitais facilitaram o encontro entre as pessoas que precisam de algo apenas por um período determinado e as pessoas que desejam alugar ou emprestar seus bens e objetos. Por isso, com o passar dos anos são desenvolvidos, cada vez mais, aplicativos para celular, sites e redes sociais que promovem essa interação, disponibilizando produtos que podem ser trocados, emprestados ou alugados.

Resultado de imagem para pessoas mexendo no celular

Airbnb, por exemplo, é um site que conecta viajantes a pessoas dispostas a alugar espaços diversos durante períodos variados. O lema do Airbnb é: vivencie a cidade como um morador. A proposta é fazer com que as pessoas possam alugar suas casas e apartamentos, como também visitarem outros locais do mundo estando hospedadas em acomodações mais pessoais, para que a experiência seja completa e faça com que todos se sintam, de fato, em casa. Outro site que oferece serviços de economia compartilhada é o Getaround, que permite o uso compartilhado de carros por meio da empresa. A iniciativa é sustentável, pois o mercado de compartilhamento de carros colabora com a redução das emissões de CO2 na atmosfera, já que menos carros são comprados e mais carros são alugados.

A posse é obsoleta, as pessoas perceberam que compartilhar é um bom negócio. O avanço tecnológico e a forte presença de usuários e consumidores nas mídias digitais possibilitaram o sucesso desse novo modelo econômico que vem ganhando forças e já estabeleceu seu lugar no mercado. Pra que manter para si mesmo algo que muitos gostariam de vivenciar? Além de retorno financeiro, a economia compartilhada oferece experiências de vida. A frase ” aprender a dividir para multiplicar” se encaixa perfeitamente nesse conceito, afinal, quem não compartilha não cresce. Assim como os negócios.