Select Page

Foi inaugurada na Suécia a primeira estrada eletrificada do mundo. O país, que em 2016 testou uma rodovia elétrica para caminhões, é a favor do uso de carros e veículos elétricos por conta dos benefícios que eles oferecem: não emitem fumaça nem ruído e são a grande aposta para substituir os combustíveis fósseis.

Mas existe um porém, eles precisam recarregados a cada 300 quilômetros. No entanto, a estrada elétrica vai resolver essa questão, porque todos os veículos elétricos que passarem por ela serão recarregados automaticamente, e assim, com o tempo, a estrada, inicialmente instalada em um trecho de 2 quilômetros, vai se expandir por toda a Suécia até que o uso de combustíveis fósseis não exista mais no país.

Como funciona a estrada elétrica? A tecnologia possui uma espécie de braço móvel que se conecta na parte inferior dos veículos em movimento e desliza junto com eles, permitindo a recarga elétrica. Mas ninguém precisa de preocupar com a segurança, pois a eletricidade fica cinco ou seis centímetros abaixo da superfície da pista, então não há riscos de choque em dias de neve ou chuva.

Resultado de imagem para estrada eletrica

Outra vantagem da estrada, especialmente para os motoristas, é o tempo ganho. Minutos perdidos na hora de abastecer serão coisa do passado, já que a estrada eletrificada permite o carregamento dinâmico e imediato dos veículos elétricos. Além disso, as baterias são muito mais  leves que a dos transportes ” tradicionais” por serem carregadas aos poucos durante o percurso, graças a um sistema que calcula o consumo de energia de cada veículo e usuário.

Cada quilômetro eletrificado custa um milhão de euros. Parece muito, mas é 50 vezes mais econômico que construir uma linha de VLT, por exemplo. O governo, inclusive, já desenhou um mapa de expansão para a tecnologia e planeja que até 2030 somente veículos elétricos sejam utilizados pela população.

De acordo com uma pesquisa elaborada pela Siemens, 93% dos cidadãos preferem chegar ao destino desejado a pé, de bicicleta ou transporte público, o que também contribui para a redução da emissão de gases poluentes e justifica o fato da Suécia ser um dos países do mundo que mais oferece inovação, qualidade de vida e sustentabilidade.