Select Page

Um jovem hacker Americano, invadiu o sistema de uma penitenciária recentemente. No entanto, o rapaz não roubou dados ou ameaçou divulgar as informações acessadas. O ataque tinha como objetivo alterar a data de libertação de um amigo do hacker que estava preso na penitenciária invadida.

Konrads Voits, de 27 anos, se declarou culpado por hackear a rede do presídio do condado de Washtenaw, no estado de Michigan nos EUA. O ataque envolveu boas doses de engenharia social, técnica no qual o hacker se aproveita da ingenuidade das vítimas para conseguir engana-las.

O ataque descrito nos documentos do processo mostra que o hacker planejou tudo minuciosamente. Antes de atacar, foi criado um site ewashtenavv.org (com duas letras “v” se passando por um “w”), endereço de web que pode facilmente confundido com o endereço do site do condado de Washtenaw, sendo ewashtenaw.org. Através de e-mails, o hacker enviou links para que funcionários os abrissem, assim, infectando as máquinas. O que não deu certo.

Apenas quando passou a ligar passou a ligar diretamente para funcionários do presídio se passando por dois funcionários do departamento de TI do estabelecimento, que Konrads finalmente conseguiu acesso e controle da rede.

Depois de conseguir acesso ao software XJail, sistema que monitorava as atividades dos detentos além de todos os registros armazenados na rede, incluindo informações dos prisioneiros e dos funcionários, que o hacker acessou o registro de vários detentos e conseguiu alterar a data de liberação do amigo, antecipando o dia.

Mesmo com a genialidade, o plano não deu muito certo. Funcionários perceberam as alterações no sistema e informaram o FBI, além de contratar uma empresa especializada, o que custou cerca de US$235 mil.

O prejuízo não foi só para o presídio. Konrads Voits se declarou culpado e pode pegar até 10 anos de prisão, além de pagar uma multa de até US$ 250 mil e ter que entregar todos os equipamentos que foram utilizados para realizar o crime. Uma nova sentença de julgamento foi marcada para abril do próximo ano.