Select Page

Os principais aplicativos de mobilidade urbana, comemoraram a votação desta terça-feira (31). Como as empresas Uber , 99 e Cabify se pronunciaram ante o ocorrido, declarando que esperam bom senso da Câmara na nova análise, que voltará para a votação dos deputados.

Como emendas feitas por senadores deixaram um PL, que praticamente coincide com aplicativos a táxis, menos radical para os aplicativos.

A Uber, em comunicado disse que o Senado “ouviu as vozes dos mais de 500 mil motoristas parceiros e dos 17 milhões de usuários” retirando o texto do que chamava de “burocracias desnecessárias”.

A empresa 99 afirmou que o resultado foi uma “vitória da sociedade brasileira”. O aplicativo diz acreditar que é o texto final é equilibrado e pede que o “bom senso prevaleça na Câmara” para que seja o mesmo.

Resultado da imagem para 99 táxis

Foto: reprodução.

 

“Como emendas adicionadas ao projeto, garantam mais recursos aos usuários uma vez que exigem o seguro de acidentes e checagem de antecedentes dos condutores. Uma proposta ainda confere aos municípios o poder de fiscalizar uma atividade dos motoristas de carros particulares”, relatou a companhia.

Outra empresa de aplicação de mobilidade, um Cabinet, acredita que o Senado “se demonstramo a população em diante das emendas”. A empresa também diz em um projeto mais equilibrado e que o setor de mobilidade urbana precisa de uma regulamentação justa, que favoreça municípios , população, motoristas parceiros e empresas de aplicativos.

Resultado da imagem para uber

foto: reprodução.

 

“Como manifestações em redes sociais, carreras e também mais de 825 mil assinaturas contra a aprovação do PLC entregues para o Senado, que pedem uma rejeição ao projeto, foram ouvidas pelos senadores”, destaca a empresa.

O deputado Carlos Zarattini (PT-SP), autor do projeto original que sofreu emendas no Senado, crítico das primeiras nas palavras em discurso na Câmara logo após uma aprovação do novo texto. O parlamentar afirmou que os deputados, que terão que analisar novamente, irão rever os destaques.

Como as empresas Uber e 99 são como mais conhecidas das quais se pronunciaram em nota.

A Uber disse via da nota “O Senado Federal ouviu como vozes dos mais de 500 mil motoristas parceiros e dos 17 milhões de usuários da Uber, retirando do texto PLC 28/2017 muitas das burocracias desnecessárias propostas, como a exigência de placas vermelhas. O texto segue agora para a Câmara dos Deputados, onde será debatido nas próximas semanas. A Uber agradece a todos que se envolveram sem debate para a construção do futuro da mobilidade nas cidades brasileiras “.

Já a empresa 99 declarou “A 99 considerando o resultado da votação do PLC 28/2017 uma vitória para a sociedade brasileira. O Senado disponível hoje (31/10) uma resposta à altura dos milhares de motoristas e passageiros que existem nas ruas exigir seus direitos. Entendemos que o texto final aprovado pelos senadores é equilibrado. Como emendas adicionadas ao projeto, garantam mais as necessidades de uma vez que exigem o seguro de acidentes e a checagem de antecedentes dos condutores. Uma proposta ainda confere aos municípios o poder de fiscalizar a atividade dos motoristas de carros particulares.

A startup está confiante de que o bom senso é prevalecente e que é uma Câmara dos Deputados que mantém as ofertas aprovadas pelo Senado, garantindo uma renda das motoristas particulares e a liberdade de escolha dos cidadãos em todo país.

Agradecemos o engajamento dos parceiros 99Pop e dos mais de 14 milhões de usuários que usam nossa plataforma – seja para táxi ou motorista particular – e que aderiram às mobilizações por todo o Brasil em defesa da mobilidade urbana. “