Select Page

A Arábia Saudita não só é o maior país árabe na Ásia e na Península Arábica, como também o maior exportador de petróleo do mundo, mas a queda dos preços do petróleo tornou mais difícil para o país pagar seus trabalhadores do petróleo.

Agora, o governo da Arábia Saudita criou um projeto que poderia dar um impulso à sua economia: uma cidade gigante, com custo de US $ 500 bilhões que se conectará à Jordânia e ao Egito e será alimentada completamente por energia renovável!

Na última terça-feira,  o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman anunciou o projeto chamado NEOM, durante a conferência Future Investment Initiative em Riyadh. O projeto será financiado pelo governo saudita e pelos investidores privados.

A cidade comercial e industrial abrangerá 10,230 milhas quadradas.
Para colocar esse tamanho em perspectiva, 10,230 milhas quadradas é equivalente a mais de 33 vezes o tamanho da cidade de Nova York.

Resultado de imagem para arábia saudita

Foto: reprodução

 

O objetivo maior da NEOM é diminuir a dependência da Arábia Saudita das exportações de petróleo, o que poderia expandir a economia do país além do petróleo, disse o relator Salmon na conferência. A cidade se concentrará em uma variedade de indústrias, incluindo energia, água, biotecnologia, alimentos, manufatura avançada e entretenimento.

O país nomeou Klaus Kleinfeld, ex-presidente-executivo da Siemens AG e Alcoa Inc, para executar o projeto NEOM. Os funcionários esperam que um programa de financiamento, que inclua a venda de 5% da gigante do petróleo, a Saudi Aramco, levante US$300 bilhões para a construção da NEOM.

O projeto poderia fazer da NEOM uma das maiores cidades para correr sem combustíveis fósseis. Nos EUA, uma das maiores cidades para funcionar com energia 100% renovável é Burlington, Vermont, que nem se aproxima do tamanho planejado da NEOM. As cidades da Islândia e da Noruega também afirmam estar perto de conseguir redes elétricas totalmente renováveis, com a ajuda de recursos naturais como a energia hidrelétrica e o calor geotérmico.