Select Page

Já falamos em alguns posts sobre as smart cities. Não só no Conexcidade, mas em todo mundo, as cidades inteligentes têm sido cuidadosamente planejadas e já fazem parte do presente.

Como dissemos neste post, para uma cidade se tornar inteligente, tecnologia e governo devem manter parceria, estar conectados para que as soluções apareçam.

Segurança e serviços púbicos são peças essenciais para o progresso de uma cidade inteligente. Quando uma cidade busca por soluções de problemas cotidianos, desde os pequenos até os mais elaborados, ela está indo pelo caminho certo.

Conheça quatro recursos que já fazem a diferença nas cidades inteligentes.

  1. Bigbelly

 

O Bigbelly é um smart system (sistema inteligente) de resíduos e reciclagem que já foi implantado em 50 estados dos UEA e em mais 50 países. O sistema fornece uma lixeira compactada que conta com sistema de energia solar, permitindo que seja acumulado até cinco vezes a quantidade de uma lixeira de rua comum. A lixeira também conta com uma tecnologia que alerta o departamento quando precisa ser esvaziada.
Com a Bigbelly é possível diminuir a quantidade de lixeiras de um local em até 80%, diminuindo também o percentual de roedores pelas ruas e consequentemente deixando as cidades mais limpas e atraentes.

Cidades importante como San Diego, New York, Chigaco, Los Angeles e Filadélfia já utilizam desse tipo de lixeira.

  1. Iluminação Pública

 

As luzes de LED conectadas nas ruas são a maneira mais fácil para uma cidade adicionar tecnologia inteligente. Um dos benefícios é a redução do crime, já que as luzes acendem automaticamente quando há várias pessoas na área e ficam mais fracas quando as ruas ficam mais vazias.

Vale muito a pena investir em lâmpadas de LED, já que elas consomem muito menos energia do que as lâmpadas amarelas. É uma maneira barata e sustentável de iluminar a cidade.
Em Los Angeles , a cidade economiza quase US $ 9 milhões por ano em custos de serviços públicos como resultado de sua decisão de gastar US $ 57 milhões para converter quase 80% de suas 215 mil vigas de vapor de sódio antigos em versões LED.

  1. Sensores de estacionamento

 

Já pensou em baixar um aplicativo no seu smartphone, que te diga onde há vaga de estacionamento pela região onde você está? Os sensores de estacionamento fazem isso acontecer enviando um sinal que indica se um local de estacionamento foi localizado.

As cidades europeias foram adotadas anteriormente por essa tecnologia.
Em Paris –França, o residente médio gasta quatro anos de vida na procura de um lugar de estacionamento, de acordo com a Cisco. Com o uso generalizado de sensores de estacionamento, o tráfego em Paris caiu drasticamente. Kansas City é uma das primeiras cidades dos EUA a adicionar sensores de estacionamento, mas já existem outras cidades dos EUA que estão considerando a ideia, ou testando-a em pequenas áreas.

 

Se você utiliza cartão de crédito no seu dia a dia leia também essa matéria