Select Page

 

O que é preciso para o funcionamento de uma Smart City? Tecnologia? Conexão? Velocidade? Internet das Coisas? O conceito de Smart City é usar a tecnologia para facilitar o cotidiano da sociedade. Saiba mais sobre clicando nesse post.

A questão é: estamos preparados para incorporar as Smart Cities?
Antes da tecnologia, precisamos de planejamento. Será que hoje, no Brasil, seria acessível a todos? Em um país onde parte da população não tem acesso a saneamento básico?

A Smart City vai além da inovação. Os planos de uma cidade inteligente não são viáveis se o planejamento público não for. A inovação deve ser acrescentada em planos de desenvolvimento e implantação de políticas públicas. De nada adianta trazermos soluções tecnológicas se as necessidades básicas ainda não foram supridas.

Uma Smart City só funciona se a sociedade, as instituições públicas (por vezes em parceria com empresas privadas) e o mercado interajam com a cidade, da mesma maneira inteligente e eficiente. Essas necessidades devem ser atendidas pelo Ministério das com objetivos de combater as desigualdades sociais, transformar as cidades em espaços mais humanizados e ampliar o acesso da população a moradia, saneamento e transporte.

Embora a criação do Ministério em 2003, sabemos que infelizmente a igualdade social ainda está longe de ser real. A política urbana não se concretiza nas práticas de planejamento e gestão urbanos da grande maioria dos municípios.

Apesar dos pequenos avanços, o planejamento de cidades inteligentes no Brasil é um pensamento distante da realidade. Mesmo que a tecnologia mude ou ajuste alguns fatos atuais, ainda precisamos de soluções para situações esdrúxulas já presentes no dia a dia brasileiro. Antes de adquirirmos tecnologia nas grandes cidades, precisamos combater a pobreza, a desigualdade, as áreas de risco, corrigir as falhas na educação e muitas outras dificuldades presentes.