Select Page

Como citamos nesse post, a Internet das Coisas ou IoT (Internet of Things), é uma tecnologia que consiste em conectar objetos, permitindo troca de dados entre eles, aproximando cada vez mais o mundo virtual do mundo real.

Mesmo com os problemas financeiros atuais, as empresas foram se aprimorando e atualizando-se para não serem deixadas para trás. Só em 2016, ao redor do mundo foram investidos U$737 bilhões em Internet das Coisas. Sendo desse valor U$178 bilhões só nas indústrias. É esperado que os números só aumentem.

Em junho deste ano, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), lançou uma nova consulta para subsidiar o Plano Nacional da Internet das Coisas, em construção pelo governo federal. As contribuições serão usadas na preparação de um mapa de empresas e instituições científicas e tecnológicas (ICTs) que ofertam tecnologias, produtos, serviços e soluções de IoT no Brasil.

Através desse projeto, todo o ecossistema de IoT no Brasil deverá dobrar de tamanho, chegando a movimentar mais de U$13 bilhões até o ano de 2020. A expectativa pelo crescimento da Internet das Coisas no Brasil faz com que fabricantes proporcionem ao mercado interno seus últimos lançamentos. Já existem tantas soluções prontas para aplicação quanto as customizáveis, observando as mais diversas necessidades das indústrias.

Também é esperado que a propagação de IoT no País aumente os investimentos em computação em nuvem. A plataforma será a escolhida para processamento dos dados. A expectativa é que até 2019, 43% dos dados de IoT sejam tratados na nuvem, com previsão de crescimento de 20% na adoção de nuvem pública.